29.7.09

lúcida vox

Jânio Lopo, da Tribuna da Bahia

O ideal mesmo é que os debates se deem à base de ideias. Isso é o que dizem os chamados intelectuais, embora empolgante é quando o pau come apareçam os podres de cada candidatura. Wagner pode ser o rei da cocada preta (ou branca), mas não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe, como diria minha finada avó. Afinal, um dia a casa cai. Leio nos jornais e, como observador meio atento, assisto conversas mil, da oposição e da situação, sobre o desempenho de Wagner. Nem tudo são flores.

Há os que defendam ardorosamente uma mudança radical no primeiro escalão do governador, principalmente nas áreas tidas como fundamentais, imprescindíveis ao dia a dia da população em geral. Wagner está careca de saber disso. Se não mexe na equipe é porque lhe ensinaram erroneamente, que não se bole em time que pode estar perdendo. É um conceito um tanto quanto perigoso. Mas cabe ao governador mantê-lo ou redefini-lo o quanto antes. Se ele quer glamour (entenda por glamour a reeleição) as chances estão todas em suas próprias mãos. Afinal, como diz a personagem de um programa humorístico “ tô pagando!...


3 comentários:

ian disse...

moço achei os arquivos das ilustras que fiz para sua coluna do dez! tempo tempo mas foi bom lembrar! vê no meu flickr!

http://www.flickr.com/photos/iansa/

ps_e a vida?

Palavras Cruzadas disse...

Fortes emoções...adorei ver as ilustras. Bons tempos! A vida parecia mais simples.

Manda um e-mail pro g-mail pra a gente papear!
saudades...

hipergheto disse...

E aí, malacomano! Há quanto tempo. Tenho perguntado por vc ao Wladimir Cazé. Grande abraço e vida longa.