30.10.08

Obama mais perto da vitória

A análise da Associated Press aponta vitória de Obama, com mais de 270 votos no colégio eleitoral (ou seja, tendo vencido o número de estados suficiente para atingir essa marca). O candidato democrata manteve os estados que John Kerry ganhou em 2004, e conquistou espaço em lugares que votam no Partido Republicano desde os anos 80, como Nevada, graças a uma campanha de base, ou "grassroots". Como o voto é facultativo nos EUA, parte do trabalho da campanha é eletrizar o eleitor para ir à urna.

Nos últimos dias, contudo, as pesquisas de opinião apontam recuperação de McCain entre os eleitores brancos sem nível superior. O preço da gasolina baixou de US$ 4 o galão durante o auge do verão para US$ 2,50, amolecendo a fúria de muitos motoristas de utilitários esportivos. Mas a economia está em frangalhos e o país luta duas guerras - a do Iraque, que evoluiu positivamente no último ano, e a do Afeganistão, que piorou e já ameaça se expandir para o Paquistão. Os militares americanos estão bombardeando o norte do país e a Síria com aviões teleguiados, leves e invisíveis ao radar. Pesquisa sobre o Vale Korengal, teatro das batalhas mais sangretas do conflito afegão.

No New York Times, Mark Leibovich acompanhou 11 comícios dos dois candidatos e de seus vices. Os mais cheios são os de Obama, seguidos dos de Sarah Palin (vice republicana), McCain e Biden (parceiro de Barack no "ticket").

“A lot of people on the other side just want free money,” said Susan Emrich, at a McCain-Palin rally in Hershey on Tuesday. A real-estate agent, she wears a T-shirt that says, “I’m voting for Sarah Palin and that White Haired Dude.” Ms. Emrich would like to attend another rally later that day in nearby Shippensburg, but can’t. “I have to work,” she explains. “I’m a Republican.”

There is an edge at Obama rallies, but it is less of frustration, more of fear. Those supporters worry that the election may be stolen from them, that race could skew against an African-American candidate, or that something unspeakable might befall Mr. Obama — but they will speak it nonetheless, in hushed tones.

Vou traduzir aqui o que dizia a camisa da corretora imobiliária citada acima, a Susan Emrich, de Hershey, Pensilvânia.


"Meu voto é na Sarah Palin
e no Cara da Cabeça Branca"
Aí me lembrei da mulher que vendia cerveja barata em seu apartamento no conjunto habitacional Parque São Brás em 2000 e tinha uma imagem em papelão, tamanho natural, do Antônio Carlos.

ANL

3 comentários:

white head from campo santo disse...

é mais fácil a pessoa deixar o parque são brás do que o parque são brás deixar a pessoa.

Palavras Cruzadas disse...

Morou no São Brás, é pra sempre.
(Patrick Brock, Conjunto 15, Bloco D, apto 302)

joao p. guedes disse...

Parque São Brás: uma lombra que não sai.